Nesta terça-feira (5/11), Minas Gerais recebeu, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, a Reunião de Ministros e Altas Autoridades de Gestão Integral de Riscos de Desastres (RMAGIR), promovida pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. O encontro recebeu delegações dos governos da Argentina, do Paraguai, do Uruguai, além do Brasil.

 

Criada em 2015, em Assunção, no Paraguai, pelos países do Mercosul, a RMAGIR tem como objetivo assessorar e propor medidas, políticas e ações no mais alto nível em matéria de gestão integral de riscos de desastres.

Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil e mediador da reunião, o Coronel Alexandre Lucas Alves explicou o que tem sido articulado pelos integrantes durante o encontro em Minas Gerais.

“Estamos discutindo a melhoria da integração de serviços meteorológicos para a emissão de alertas e também a cooperação entre os municípios de fronteira. Só o Mercosul tem 461 municípios que fazem fronteiras entre si. E o desastre, muitas vezes, não respeita fronteira. Ou seja, passa de um lado para o outro do município. É preciso que tenhamos protocolos de cooperação para que seja efetivo o socorro e a prevenção nesses locais”.

Além do encontro desta terça-feira, as delegações vão se reunir, mais uma vez, nesta quarta (6/11), no Inhotim, em Brumadinho.

Para Fernando Traversa, Diretor do Sistema Nacional de Emergência (SINAE) da Presidência da República do Uruguai, o Brasil e, principalmente, Minas Gerais tem muito a compartilhar com os demais países do Mercosul.

“Estamos muito contentes de ter uma reunião de ministros e altas autoridades aqui. Belo Horizonte é um lugar conhecido no mundo, porque obteve uma premiação pelo trabalho que vem sendo feito para mitigar o risco. A realização da reunião aqui é um ponto importante no trabalho conjunto entre os nossos países”.

Referência em gestão do risco e desastre

Devido aos trabalhos desempenhados pelo Governo de Minas, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC-MG), e demais órgãos de segurança, o Estado tem sido reconhecido como referência em gestão do risco e desastre.

“Temos feito um trabalho muito importante de prevenção e resiliência com a população. Em função das ações já feitas em gestão de riscos pelo Governo de Minas, por meio da nossa Defesa Civil, essa reunião é muito importante. Isso mostra a responsabilidade que o Governo tem para tratar a questão da gestão de risco, prevenção e treinamentos dos mineiros”, ressalta o Coordenador Adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho.

Em 2019, além das ações de resposta ao desastre em Brumadinho, a CEDEC desempenhou diversos trabalhos de prevenção e mitigação. Dentre eles, destacam-se as atuações em cidades afetadas devido à elevação do nível de emergência de barragens; a distribuição de água potável a mais de 100 mil pessoas, de 73 municípios; a promoção de cursos de prevenção em cidades mineiras; e a realização de nove simulados de evacuação de emergência, sendo o de Itabira, em agosto, o maior já feito no Brasil.

Além disso, o Governo de Minas, potencializou, neste ano, a emissão de alertas meteorológicos. As equipes do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil foram reunidas em um único local, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), iniciativa que colocou Minas como um dos estados pioneiros a promover o trabalho conjunto entre as agências, 24 horas por dia.